segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Beléto Maya



Conheci Beléto quando ele tinha 17 aninhos. Era um garoto lindo, de cabelos loiros e grandes olhos, sempre bem abertos, cheios de curiosidade, que o irmão mais velho, Álvaro, trouxe para estagiar lá na agência. Só bebia guaraná... Ria bem alto, a sua voz grossa irradiando alegria.

De lá pra cá ele cresceu, aprendeu a beber cerveja, perdeu alguns cabelos, ganhou esposa e filha. Virou ilustrador, artista gráfico, designer. Um profissional tão bom que eu, descendo do meu pedestal de veterana escolada, premiada, devidamente elogiada e mimada, tive um dia que admitir: aquele garoto era um diretor de arte melhor do que eu.

Trabalhamos juntos por tantos anos, que nem me lembro mais da época que ele não estava lá, ao meu lado, trampando até tarde, contando piadas, ouvindo o bom e velho rock – embora gostasse, como ele mesmo dizia, de todo tipo de música.

Ele esteve comigo no meu primeiro livro, com os seus grandes olhos admirados, dizendo “Que legal, Sueli! Você é feraaaa!”, com um entusiasmo que só ele sabia transmitir. Empenhou-se em fazer a capa, pesquisando a fonte, procurando uma renda vitoriana para servir de fundo, e inaugurando a série dos meus livros de capa vermelha.

Mas um dia eu fui embora, Beléto também, da agência que nos criou. E embora não nos falássemos mais com tanta constância, era bom saber que ele estava por aí, espalhando classe, ousadia e bom-humor nos trabalhos muitas vezes sem graça de propaganda.

Quando soube que eu estava terminando “Kaori”, ele me disse com a sua voz grossa: “E a capa, não rola?” E, claro, a capa só poderia ser dele. Como seriam todas as capas que ele quisesse criar no futuro.

Hoje, ao chegar em casa, depois de viajar sete horas do Rio para São Paulo, fiquei sabendo que Beléto foi embora. Um ataque cardíaco fulminante o levou esta manhã.

Obrigada, Beléto. Pela amizade, pelos momentos alegres, pela dureza de algumas noites e finais de semana de trabalho que você me ajudou a suportar nos velhos e bons tempos. Pela sua arte, que irradia beleza na capa de “Kaori” – e que é um dos principais responsáveis pelo sucesso do livro.

Neste momento, peço a todos os meus amigos, mesmo os que não tiveram o privilégio de conhecer este garoto – ele, sim, uma verdadeira fera – uma prece, um pensamento de bondade, um sorriso de carinho voltado para ele.

Tenho certeza que Beléto, lá de onde está, saberá que estamos torcendo por ele. Pela sua felicidade. Pela sua alegria. Pela sua paz.

20 comentários:

pauloferreira disse...

Giu,

Obrigado pelo texto lindo sobre nosso amigo querido, o nosso gênio.

Beijos,

Paulo

pauloferreira disse...

obrigado pelo texto lindo sobre nosso amigo, o nosso gênio. beijos, Paulo

Fernanda A. Lopes disse...

Sabe, não acredito até agora, parece que a "ficha não caiu"... Mas pensando bem, acho que não vai cair nunca - vou me lembrar sempre do Beléto, aquele cara incrível, com seu engraçadíssimo mau humor, de um talento maravilhoso e uma generosidade ímpar. Ficará sempre vivo em nossa lembrança, nos bons tempos de boteco, nas noites de muito trabalho e nas muitas e muitas risadas... Uma pessoa como ele deixa marcas tão positivas que nem o tempo consegue apagar.
Grande Beléto...

Gianni disse...

Giu, a vida é assim mesmo. Tudo o que temos é o momento presente e mais nada. E devemos aproveitá-lo. Não há garantias de mais nada.
Estamos aqui, agora, em contato. Mesmo virtual sou grato por isso, afinal sequer o próximo minuto temos condições de prever...
Envio pensamentos positivos ao Beléto, que pela foto passa a impressão de um ser realmente amoroso e carismático.
Talvez estivesse por aqui, assim mesmo, só de passagem, para realizar umas coisas e seguir jornada.
Maravilhoso ter cruzado o teu caminho e plantado coisas. A capa de Kaori realmente dispensa comentários pela beleza.
Que os Budas abençoem a nós todos
_/|\_

Anna Amorim disse...

Giulia,

Tive o prazer de conhecer um pouco de Béleto Maya através de você.
Linda homenagem.
Com certeza muitas pessoas estarão conectadas a ela e em oração a ele.

Eric disse...

=(

Daniel Cisneiros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lica disse...

Oi Giulia, oda força para vc e toda familia deste grande artista!!!

Que ele esteja em paz, com quem ama...

bjokas
lica

Marcelo Galvao disse...

Gostei muito do trabalho dele em "Kaori", desde o dia em que vi o banner com a capa no Fantasticon 2009. Meus pêsames e que descanse em paz.

Bondgirlpatthy 007 disse...

Amiga, estou c/ vc nessa hora difícil. Tenho certeza q vcs estarão juntos eternamente através de suas lembranças e eternizados através de Kaori. Conte c/ meu apoio querida. Procure ficar bem. Bjs

Dany disse...

É estranho como pessoas incríveis que são para nós um apoio, um esteio, estão ali o tempo todo, e de uma hora para outra não mais estão. É como se o tapete em baixo de nossos pés tenha sido puxado, sem que percebêssemos...e o tombo é feio...nos machucamos, choramos e tentamos nos recuperar, nos levantar e tocar a caminhada! Seja onde for que estiver, tenho certeza que está bem, pois os seres do bem tem uma energia pra cima, um astral diferente...eles já fazem parte da Terra mesmo sem perceber. Oremos por sua energia, sua alma, e eu peço para que a Mãe Terra o receba com alegria e felicidade e que ele possa se tornar uma bela flor que alegre o rosto de uma amiga novamente.
Meus sentimentos...

L.F. Riesemberg disse...

Lamento sua perda, Giulia. Agora resta-nos orar para que ele receba nosso carinho onde estiver. Grande abraço.

walquiriamolina disse...

Saber que um dia estaremos juntos novamente, assistindo a este filme e rindo mto (e mto alto) me conforta - se for possível falar de "conforto" numa hora dessas.

Certamente este mundo ficou menos colorido e mais chato; mas esta homenagem nos fará lembrar e sentir, sempre, a sua arte e sua alegria!

bjs, Walquiria

Martha Argel disse...

Que linda homenagem, Giu!
Por mais que a gente fale da impermanência e entenda racionalmente o conceito, quando ela dá as caras, sempre sem aviso, sempre sem a menor cerimônia, a dor é terrível.
A única coisa que nos resta é pensar com carinho, continuar amando quem já não está aqui, e desejar que, onde quer que estejam, aqueles que amamos encontrem a felicidade.
E ser mais pacientes, mais carinhosos e amorosos com aqueles que ainda estão perto da gente.
beijos.

tabajarafilho disse...

Giu...
Lindas palavras...
E lindo sentimento pelo nosso amigo Beleto!!!

Talita disse...

Curioso como uma pessoa tem tanto impacto nas outras a seu redor, mesmo sem uma convivência tão constante, ou relacionamento direto... não tive a oportunidade de desenvolver grande amizade com o Beleto, mas os poucos momentos de coleguice de trabalho, de piadas, de conversa me influenciaram enormemente... Beleto É uma pessoa especial, com um alto astral fora do comum! Irradia alegria, arte, bom gosto, sensibilidade, e certamente foi necessário, requisitado pelos nossos anjinhos lá em cima, que devem estar precisando de alguém como ele. Desde ontem, o céu está mais feliz, mais sábio, mais artístico.
Talita

Chris Sevla disse...

Todos nós devemos compartilhar o amor, seja nesta vida ou na próxima; e não existe caminho melhor do que o ladeado por preces e orações.
As minhas estão iluminadas aos pés de Nossa Senhora das Graças, que como toda boa mãe, dará seu colo a cada um de nós que ainda está por aqui, do mesmo modo que deu para Beléto, assim que ele foi ao seu encontro.

Chris Sevla

ARERE DESIGN disse...

Obrigado, por homenagiar essa grande pessoal com quem tive enorme prazer em trabalhar e me tornei amigo ou melhor o meu melhor amigo nesses anos trabalhando com publicidade.

cleber ferreira

Rubens Mello disse...

Ele está bem!
Nós sabemos disto.
Paz.

LILI disse...

Para aqueles que viraram noites e noites no Bar do Jorge,aprendendo com ele a tomar rabo de galo;
Para aqueles que sabiam que não haveria festa sem o Beleto ou o Beleto sem festa (era melhor desmarcar do que infringir esta regra);
Para aqueles que faziam da sala dele na Philippines o melhor lugar do mundo ( e nunca mais haveria um lugar assim);
Para aqueles que esperavam cada desenho,cada idéia,como quem esperava uma obra de arte (e que eram mesmo dignos de exposição);
Para quem odiava suas piadas na mesma intensidade que não vivia sem elas (e não conseguia parar de rir pra brigar com ele);
Para quem apostava no que ou quem conseguiria diminuir seu imenso e delicioso bico mal humorado(nunca ninguém conseguiu);
Para os que ficavam na portaria,na cozinha,no corte,na costura,que ele descaradamente abraçava,acalentava,conduzia,valorizava,calando os eternos arrogantes pentelhos (as) com sua absurda generosidade e bondade;
Para que teve a honra de vê-lo escolher uma (linda) mulher para amar,no meio dos acessórios,e criar lindamente deste encontro uma familia("Eu não estou apaixonado,eu AMO a Lilia);
Para aqueles como ele: raros,intensos,encantadores,erráticos,
malucos,criativos,sedutores,brilhantes,
Para pessoas que como eu puderam se embriagar deste cara por tantos anos,e nunca ficar de porre,
não fica mais nada.
Fica é impossível aceitar.
MichaelJackson que se foda.
O Beleto sim é um gênio.
O Beleto sim,é imprescindível.
Todo meu amor,
Lili.