segunda-feira, 23 de março de 2009

Trecho inédito do livro "Kaori - Perfume de Vampira"


Imagem: k.lango.blog.uol.com.br

E, para dar um gostinho do que vem por aí, segue em primeira mão um trecho do meu novo livro. Divirtam-se e continuem torcendo pela titia Giulia...

***

"KAORI - PERFUME DE VAMPIRA"
Giulia Moon - 2009


Cap. II. - O Temeroso Encontro com a Mulher-Corva (trecho)


"(...) Num dos aposentos do Kim-Dama-Ya, Missora olhava com cobiça para a menina sentada à sua frente. Ela era ainda mais bonita de perto. Um rosto de criança, a boca pequena e carnuda, os cabelos brilhantes e o corpo esguio. E as mãos! Mãos abençoadas pelos deuses... Pequenas e delicadas como uma pintura. Esta garota não era uma roceira qualquer. Era uma fina boneca, digna dos clientes mais exigentes. A sua iniciação como oiran* seria tardia, pois a maioria das cortesãs iniciava o aprendizado com cinco anos. Mas a mama-san estava convicta de que valia a pena possuir a jovem filha de Gombei.

Kaori examinava sutilmente cada detalhe da madama do Kim-Dama-Ya. Ali estava uma mulher muito bela, mas que falava alto com a voz estridente. Palavras ocas. Mentiras. Subterfúgios. Uma fachada barulhenta que ocultava intenções escusas. Uma corva agourenta e traiçoeira. Entendia as razões que fizeram seu pai se indispor com ela. Mas não pretendia se esquecer das suas próprias razões, que a levaram até ali, arriscando tudo numa jogada decisiva. Curvou-se numa profunda reverência, tocando a testa no tatami**, e disse:

– Meus respeitos, Missora-sama***.

A mama-san gargalhou, deliciada com a demonstração de humildade. E, abanando-se com o leque negro, disse:

– Ora, ora, minha pequena... É com grande surpresa que a recebo em minha casa, pois seu pai, Gombei, não me tem em alta conta. Diga logo o que quer, pois estou curiosa.

– É sobre meu pai mesmo que vim lhe falar, senhora. Estou aqui para oferecer-lhe as nossas sinceras desculpas pelo mal-entendido que nos colocou em posição embaraçosa. Asseguro-lhe que nem meu pai, nem eu, tivemos a intenção de ofendê-la.

Missora perscrutou o rosto impassível de Kaori. A fedelha parecia mais astuta do que o pai obtuso e ignorante. A mama-san respondeu no mesmo tom cortês:

– Agradeço a atenção, pequena. Mas eu nada tenho contra você ou seu pai. Quem deve se desculpar sou eu, pois penso que fui um pouco grosseira com Gombei-san na nossa última conversa...

Kaori fitou os olhos negros de Missora. Será que tudo ia acabar bem, afinal? Seria tão bom! No entanto, percebia nas palavras da mama-san um tom sutil de maldade. A corva tramava algo, com certeza. Precisava manter-se atenta.

– Obrigada, Missora-sama, pela gentileza e benevolência. Agora, parto tranquila, graças às suas palavras.

– Ah, mas já vai anoitecer, menina Kaori. É proibido transitar pelas ruas a esta hora, são ordens do nosso grande senhor xógum. Assim como eu lhe estendi a mão, esquecendo as nossas desavenças, espero que aceite a minha hospitalidade por esta noite. Isso me alegraria muito.

– Obrigada, senhora...

Não havia outra saída, a não ser concordar com a víbora. Mas, de uma forma ou de outra, sob este verniz de civilidade, Kaori lutaria em melhores condições do que numa confrontação direta. Com sorte, pensava poder dobrar a mama-san e salvar seu pai e a si mesma. Fez mais algumas reverências, abaixando a sua cabeça até o tatami em sinal de respeito, e retirou-se, fechando o shoji**** atrás de si."


*Oiran – prostitutas de luxo do período Edo (Tokugawa). Praticavam as artes de dança, música, poesia e caligrafia

**Tatami – esteira de palha entrelaçada que reveste o assoalho da casa japonesa.

***Sama – modo mais formal e respeitoso de “san”, usado para se dirigir a pessoas de altíssima posição.

****Shoji – porta corrediça com os caixilhos forrados de papel.

14 comentários:

Adriano Siqueira disse...

Giu,

Está ai uma novidade que muitos esperam estar logo nas livrarias.
Já estavamos esperando que uma autora brasileira fizesse uma obra de arte como está e você é a pessoa ideal para manter esta arte sempre a frente do publico e em destaque na qualidade fantástica que você é.

abraços e espero não precisar dizer que você tem todo o meu apoio se precisar.

Muito sucesso para Kaori - Perfume de Vampira e para você querida Giulia :-)

Dri

Mario Carneiro disse...

Aeee!!! Ela voltoouu, a Giulia voltou novamenteee... Rsrsrs.

Giulinha, desejo toda a sorte do mundo, e é lógico que farei minha parte comprando seu livro, além de fazer toda a propaganda possível. Só esse trechinho já deixa a gente salivando! Sempre achei que vc devia investir num romance longo, e agora aí está. Vai vender mais que sangue engarrafado na transilvânia, pode crer!

Abraços!

Giulia Moon disse...

Obrigada, Dri e Spino, pelas palavras carinhosas.
Dri é uma companhia alegre e talentosa desde o início, nos bons e velhos tempos da Tinta Rubra, nosso yahoogrupo de vampiros, onde tudo começou.
E Spino é um talento emergente que tive o prazer de conhecer nessas andanças literárias pela net.

É muito bom lê-los. Espero retribuir todo o carinho com um livro divertido, que valha apena ser lido!

Beigiunhos aos dois cavalheiros...

Eric disse...

Algo me diz que será muito muito bom. :) Devidamente Fantastikado.
Baci!

Lancaster disse...

Tudo muito bem-escrito e funcional.:)

ragacini disse...

Adoreiiiiiiiii!!!!!!!!!
Só tenho cuma coisa a dizer.
Onde eu compro!!!!!!!!
Já adorova em contos agora em narrativas longassssss vai ser demaissssssss!!!!
Desse jeito nem vou conseguir escrever meu 2° livro porque vou contar segundos pra ter o meu livro Kaori a vampira niponica mais linda e perfumada depois de maya

Thiago Assoni disse...

Olha só...
Cultura milenar e tudo mais...Muito bom...
Além de irmos ao deleite com uma história que me parece em demasia interessante, vamos ficar por dentro de algo mais sobre todo esse mistério que parece ser a cultura Japonesa-tão rica e bonita.

Já estou ancioso para acompanhar e desvendar este livro...Hum...E esse nome...Um tanto sedutor, eu diría..."Perfume de Vampira"

Mto bom...Sucesso Senhorita Moon...
E eu sei que será!!!!

Fatima Romani disse...

Giulia (Sueli...)
AMEI!
Desde a foto até os mínimos detalhes!
Além do mais, gosto muito da cultura japonesa, não fosse eu amiga sua e de tantas outras da mesma origem....
É uma cultura muito rica e inserir suas estórias de vampiro nesse universo as torna muito mais interessantes.

Begiuinhos

Bijou

Ademir Pascale disse...

Adorei, Giulia! Sempre comento por aí que você é uma das minhas escritoras preferidas. Tenho certeza que a obra será um sucesso. Conte comigo e a Elenir na divulgação.

Um forte abraço,

.

Nazarethe Fonseca disse...

Oi Giulia!Gostei bastante da degustação e vou ficar aguardando o resto com curiosidade. Diferente e novo. Tenho grande admiração pelo Oriente, vai ser uma aventura e tanto. Parabêns.Beijos Mordidos!

Editor Scarium disse...

Parabéns Giulia!

Li o trecho e acho que vou adorar o livro. Esta interessante mistura de que faz o seu enredo ter algo um tanto especial.

Marco

Helena Gomes disse...

Parabéns, Giu!!!
A gente vai lendo, lendo, e quer saber tudo! Ah, coloca mais trechinhos, vai! Ou teremos de esperar o livro completo?
Li Dragões Tatuados e fiquei com a mesma sensação de quero mais...
Sucesso, amiga!

Outra coisa: já separei pra vc um exemplar de Código Criatura, tá? Agora é só ver quando poderei ir a Sampa pra te entregar.
Bjokas!

Medeia disse...

Giulia,
desde o dia 3 de setembro estou em dívida com você. Apesar da chuva e de outras comemorações pssoais, ergui um brinde ao seu romance. Por enquanto, aceite um abraço festivo e carinhoso por mais esse trabalho.

Flávia Muniz

Gênio B.F disse...

Nossa!!!!!!!!!
Eu vi este livro na Saraiva nessa semana...me apaixonei por ele, afinal adoro historias com tematicas orientais...e fico agora mais feliz por ser uma escritora nacional! *-* confesso que não conhecia seu trabalho Giulia, mas tem agora um novo fan!!!!!
sucesso neste novo ano!!!!!!!!