segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Crepúsculo - vampiros bonzinhos? Epa...



Pronto, acabei de ler o bestseller vampírico Crepúsculo, de Stephenie Meyer. Foi uma leitura fácil. Em dois dias, nos intervalos do trabalho, dos passeios de fim de semana e etc, dei cabo das quatrocentas e tantas páginas do romance. No final, fica a pergunta: eu gostei? Sim, com ressalvas. Nos comentários a seguir, provavelmente vão surgir uma montanha de spoilers, por isso, se você vai ler o livro, não leia o post...

Na verdade, os pontos positivos ressaltados pelos resenhistas e críticos na narrativa de Meyer, não são nada de novo ou de especial. A autora é hábil e consegue narrar de forma agradável (com exceção da repetição exaustiva de adjetivos como "perfeito" e "lindo" para o seu personagem vampiro) a história da adolescente Bella, personagem nem tão bonita, nem tão inteligente, mas boazinha e com um "algo mais" inexplicável que faz um vampiro, com todas as qualidades estranhas e maravilhosas de uma criatura de sonhos, apaixonar-se por ela. Bella, desajeitada e tímida, é uma anti-heroína típica de narrativas adolescentes, que encontramos com freqüência em animes e outros livros juvenis. É a menina comum, desajeitada, que - bingo! - consegue namorar o cara mais lindo e inatingível da escola, tudo por causa de sua beleza interior.

Na família de Edward, o príncipe encantado vampírico que tem o poder de ler pensamentos, sucedem-se alguns tipos facilmente reconhecíveis de animes. A irmã loira e linda que logo se antipatiza com Bella, o "pai" bonitão e a "mãe" compreensiva, o irmão fortão e brincalhão, a irmãzinha engraçada e meio abilolada que tem premonições, o irmão estranho que consegue influenciar pessoas com o seu poder psíquico. Ora, pra quem curte animes, sabe de cara que esse conjunto de personagens poderia muito bem estrelar uma série desses desenhos japoneses. E, quem sabe, talvez isso explique o sucesso do livro, não é?

O forte da Meyer é tornar tudo isso palatável, em que o leitor condescende em levar a sério os clichês e entra na brincadeira. E pronto, o acordo leitor-autor está estabelecido. Afinal, o que não é clichê na literatura de vampiros? E olha que eu digo com conhecimento de causa! A forma como se trabalha os clichês, surpreendendo e divertindo o leitor, é que faz da literatura vampírica uma baita fonte de diversão. Taí o André Vianco, que também é bestseller, tem um talento excepcional pra criar enredos movimentados e divertidos, que confirma isso.

Então, gostei do livro? Médio. Acontece que o tipo de clichê trabalhado no livro não me atrai, pessoalmente. Puxa, os vampiros chorosos e cheios de dúvidas existenciais da Anne Rice dão de mil nos meninos bem-vestidos e de banho tomado da Stephenie Meyers, na minha opinião. Mas, vejam bem, esta é uma opinião pessoal e completamente parcial. Uma opinião da titia Giulia... rs. Além disso, se for para ler romances vampíricos com essa cara de realidade, eu ainda prefiro um que se desenrole no Brasil - que é muito mais real para mim - como os do André.

Aliás, esse tipo de história gente-como-a-gente no reino dos vampiros já foi bem explorado pela Martha Argel no seu livro Relações de Sangue, onde a anti-heroína Clara vive um cotidiano repentinamente invadido pelos vampiros de uma forma mais violenta, sensual e movimentada, bem no meio da metrópole paulistana. Se vocês ainda não leram Relações de Sangue, leiam, vão gostar... rs.

Mas tudo isso é relativo, no final. O livro é bem escrito, tem uma capa linda, e está levando os vampiros para o grande público. E isso, por si só, é um grande feito. Tem um montão de gente que se identifica com Bella e torce para ela. Ótimo. Opiniões são pessoais e não devem ser absolutas. E titia Giulia jamais iria achar ruim um livro que levou os vampiros para o topo da lista dos bestsellers. Palmas pra Stephenie Meyer, que ela merece!

7 comentários:

luciana fátima disse...

Giu,
Que lindo!! Eu também acabei de ler o Crepúsculo. Li no final de semana, no meio de uma viagem a Vinhedo! Concordo com tudo!! Tem algumas coisas chatinhas, mas no geral é uma leitura agradável e divertida... estou curiosa pelo filme, agora... (embora eu sempre ache as imagens que crio na minha cabeça melhores que as dos filmes!!!)... vamos ver como vai ficar, né?!

Darkisses,
Lu

Mario Carneiro Junior disse...

Oi, Giulia Lua! Bem, como eu já disse, não sou muito fã da história do livro, mas concordo que a autora escreve bem demais. Levei 100 páginas de leitura para perceber que ainda não tinha acontecido coisa nenhuma, e mesmo assim não conseguia parar de ler. Acho que li em dois dias tbém, mas agora não sei se vou encarar os outros... ao final da leitura, pensei "o livro é chato, mas a autora é ótima!" HAUAHAUA! Enfim, talvez dê outra chance para a Bella e sua "tchurma. Talvez... Bjão!

Giulia Moon disse...

Oi, Lu! Estou curiosíssima pelo filme, pois parece que é sucesso já no lançamento. Bem, pelo menos vai ter muito vampiro bonito... rsrsrsrs

Spino, nem em duzentos milhões de anos de evolução você iria curtir uma história de vampiros bonzinhos! Hahahahaha! Ops, pensando bem, eu tb prefiro os vampiros mauzinhos! Rá!!!

After midnight disse...

seu blog é ótimo.Visite o meu afterthemidnight.blogspot.com-uma história de romance vampirico.
e eu coninuarei no seu...
Abraços

luciana fátima disse...

Oi, Giulia!
Já assistiu ao Crepúsculo??? ADOREI... a beleza dos vampiros, hehehe!!! Mas o filme em si é meio fraquinho. Bom, mesmo assim, quero ver de novo, hahaha!


Darkisses!
lu

Thiago Assoni disse...

Senhorita Moon...Parabéns!!!!

Concordo em número, gênero e grau com tudo o que disse!!!!

Imagina, esse High Scool Vampírico que essa Sthephenie fez é um tanto debochado, eu diría...

Anne Rice, com certeza, escreveu muitoooo melhor!!!

Sem contar, é claro, em vcs, nossos escritores Brasileiros que têm dado show no quisito Literatura Fantástica!Não troco um conto nosso por Crepúsculo, Lua Nova, Eclipse e nem Sol da Meia Noite nehum...

Pooovooo, vamos ler coisas melhores!!!!

A Saga de "Os Sete" do André Vianco é maravilhosa!!!!

Alma & Sangue da Nazareth Fonseca, isso sim é um romance que se preze de verdade...Melhor que Edward Cullen é o Jan Kman!Nossaa...

Relações de Sangue, sem comentários!Terminei de ler o livro dentro do Parque Trianon-Masp...E o medo de sair depois?Ou de cruzar com o Vampirão por ali...rsrsrs...

Vampiros no Espelho e Outros Seres Obscuros-Esse, na falta de um, vem logo com uma penca de histórias maravilhosa para serem lidas...

Ae, povo...Vamos dar valor pra quem merece!!!Vida Longas aso escritores Brasileiros!!!!

E tenho dito!!!!

Luiz Gustavo disse...

Não estava com vontade de ler o livro Crepúsculo, pois ando na fase nacionalista, agora é que não vou mesmo, até porque já vi o filme. Sou fã de carteirinha do André Vianco, da Giulia, da Martha Argel, do Joaquim Modesto e da Regina Drumond, e com sinceridade, estes, qualquer um deles, na sua pior fase, dá de 10 x 0 nesse livro com romance tipo água com açucar.
O que me deixa chateado é que nos Estados Unidos, um livro vira filme com uma rapidez absurda, já aqui..... Seria tão bom se a reciproca fosse verdadeira.
Enfim a Giulia tem razão numa coisa, o livro serve para chamar a atenção para o tema Vampiros, quem sabe no lastro de Crepúsculo não vem uma chance melhor para os brasileiros estourarem de vez na mídia. Quem viver verá !
Abraços e Beijos
Luiz